Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
EUA

Reservas de petróleo caem nos EUA e sustentam os preços

15/10/2020 | 18h37

As reservas comerciais de petróleo bruto nos Estados Unidos caíram mais do que os analistas esperavam na semana que terminou em 9 de outubro, e o petróleo ficou estável nesta quinta-feira.

O barril de Brent do Mar do Norte para entrega em dezembro fechou a 43,16 dólares em Londres, queda de 0,4%. Em Nova York, o barril do WTI em novembro perdeu 0,2%, e fechou a 40,96 dólares.

Na quarta-feira, os dois contratos de referência subiram mais de 2%, ajudados pelo enfraquecimento do dólar, que tornou o petróleo mais barato para os investidores em outras moedas.

O relatório sobre a redução dos estoques nos Estados Unidos ajudou a reduzir a queda de preços da quinta-feira de manhã, precipitada pelo agravamento da segunda onda do covid-19 que ameaça a retomada da demanda na Europa.

Reservas em baixa

De acordo com o relatório semanal publicado nesta quinta-feira pela Agência de Informação de Energia dos Estados Unidos (EIA), as reservas caíram 3,8 milhões de barris (mb), a 489,1 mb.

Divulgação

Os analistas esperavam um corte de 2,1 MB. No entanto, os estoques ainda estão 11% acima da média dos últimos cinco anos, em um contexto de demanda fraca devido à pandemia do coronavírus que reduziu o consumo de energia.

A queda das reservas na semana passada é explicada pela queda na produção de meio milhão de barris por dia (mbd) para 10,5 mbd.

As importações também caíram de 5,7 mbd para 5,3 mbd. As exportações caíram 524 mbd, para 2,1 mbd.

Devido às interrupções no Golfo do México pelo furacão Delta, as refinarias dos Estados Unidos trabalharam com 75,1% de sua capacidade contra 77,1% na semana anterior.

As reservas de gasolina caíram 225,1 mb, 1,6 mb abaixo do recorde anterior, conforme previsto por analistas.

Os estoques de destilados caíram 7,2 mb, acima do esperado pelo mercado, que previa queda de 1,7 mb.

Do lado da demanda, o consumo de derivados ficou em 18,4 mbd nas últimas quatro semanas, aumento de meio milhão de barris por dia em relação ao recorde da semana anterior, mas também 12,6% abaixo do mesmo período de 2019.

No terminal de Cushing, Oklahoma, onde é guardado o óleo que serve de referência para o WTI, houve um aumento nas reservas de 2,9 MB para 59,4 MB.



Fonte: AFP, 15/10/2020
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar