acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

No 49º Congresso Brasileiro de Geologia o Rio vai discutir investimentos em óleo e gás

20/08/2018 | 11h17
No 49º Congresso Brasileiro de Geologia o Rio vai discutir investimentos em óleo e gás
Agência Petrobras Agência Petrobras

Sede das principais instituições e empresas que têm suas atividades voltadas para a Geologia, o Rio de Janeiro recebe de 20 a 24 de agosto, no Centro de Convenções SulAmérica, o maior evento sobre Geociências da América Latina. De volta à cidade após 34 anos, o Congresso Brasileiro de Geologia, agora em sua 49ª edição, tem como objetivo integrar academia, empresas, profissionais e também a sociedade, com o desafio de tornar as Ciências da Terra mais conhecidas e valorizadas.

Com o mote conceitual "Geologia: Conhecer o Passado para Construir o Futuro", a programação destaca quatro grandes temas: 'Segurança do Trabalho', 'Petróleo e Gás', 'Defesa das Instituições Públicas de Geologia e da Ciência Brasileira' e 'Geologia, Mineração e Recentes Desastres Ambientais'. Durante os cinco dias, deverão ser apresentados 2.175 trabalhos técnicos e científicos. Especialistas brasileiros e também dos Estados Unidos, Portugal, Argentina, Austrália, Noruega e Alemanha farão palestras temáticas.

Haverá também uma sessão especial sobre Antropoceno no Museu do Amanhã. O evento contará ainda com exposição, concurso de fotografia, lançamentos de livros, além de seis excursões a pontos de interesse geológico do Rio e 20 minicursos, realizados na UniRio e Uerj.

Novidades tecnológicas

A programação traz atividades paralelas como o 9º Simpósio do Cretáceo do Brasil e o 7º Simpósio de Vulcanismo e Ambientes Associados. Um dos convidados especiais do Congresso é o maior especialista do mundo em vulcões, Dougal Jerram. No dia 22, às 16h30, ele lançará seu livro "Introdução à Vulcanologia" no Geoteather, espaço de convivência do evento.

Nesta edição, 23 empresas e instituições vão apresentar novidades tecnológicas na ExpoGeo, o salão de exposições do evento. Como o sistema de visualização imersiva "MOSIS – Multioutcrop Sharing and Interpretation System", que será levado pela Unisinos para demonstração e a máquina de sublimação da Geologia BR. Os estandes da CPRM, com alguns mapas interativos, e da Petrobras, que promove ativações com participantes, também devem atrair a atenção dos visitantes.

Uma novidade nesta edição é o aplicativo 49CBG, o que fez com que o programa final do evento fosse transferido para a tecnologia, buscando redução de papel, num compromisso da organização com as metas de sustentabilidade.

Expectativa é atrair 4 mil pessoas

Para Hernani Chaves, presidente da SBG-Núcleo RJ/ES e da Comissão Organizadora do Congresso, o evento será uma oportunidade para dialogar com diferentes atores sobre as grandes questões em torno do desenvolvimento da Geologia hoje no país. Especialista em óleo e gás, ele vê com otimismo os novos leilões previstos para 2018 e 2019 e a recuperação dos preços do petróleo no mercado internacional.

"Enquanto na área acadêmica discute-se o cenário preocupante quanto à escassez de investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), nos setores de petróleo e gás e de mineração a expectativa pelo equilíbrio econômico do país e a retomada do crescimento trazem esperança de melhores oportunidades neste setor, que vive um momento negativo para o emprego de profissionais da área", completa.

A expectativa da Sociedade Brasileira de Geologia (SBG), que organiza o evento, é reunir cerca de 4 mil pessoas, entre profissionais, pesquisadores, professores, estudantes e interessados nos temas que envolvem as Geociências, além da comunidade em geral. As inscrições podem ser feitas diretamente no local, durante o evento. Mais informações pelo site www.49cbg.com.br.

Abertura terá homenagem aos 200 Anos do Museu Nacional

O evento será aberto hoje, segunda-feira, dia 20, às 15h, durante solenidade no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em homenagem aos seus 200 anos. No mesmo dia, às 17h30, haverá abertura oficial no Centro de Convenções SulAmérica, na Cidade Nova, onde o evento prossegue até dia 24.

A programação científica é aberta na terça-feira, dia 21, às 9h, por Scott Tinker, professor de Geologia da Universidade do Texas em Austin e diretor do Bureau of Economics Geology, o Serviço Geológico do Texas. Co-produtor do premiado documentário 'Switch'- exibido para mais de 115 milhões de pessoas em mais de 50 países, Tinker vai falar sobre 'Energia, Clima e Pobreza´.

Semana do Antropoceno no Museu do Amanhã

Ainda no dia 21, às 15h, haverá sessão especial 'Marcas da Ação Humana no Planeta', no Museu do Amanhã, durante a Semana do Antropoceno. Até domingo (26) o público poderá visitar a exposição interativa gratuita 'Explorando o Planeta', organizada pelo Serviço Geológico do Brasil.

O tema empoderamento feminino também está presente nas Geociências e ocupa seu lugar na programação, com o Encontro das Mulheres Geocientistas, no dia 21, às 15h40, quando será criada a Associação Brasileira de Mulheres nas Geociências.

Em paralelo, durante duas semanas, o Museu da Geodiversidade, na Ilha do Fundão, receberá estudantes de escolas públicas da rede estadual de ensino, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação.

Grandes Temas: Investimentos e segurança em óleo e gás

No dia 21, terça-feira, às 17h, será a vez da mesa redonda "Geociências e Segurança", que colocará em discussão a questão de segurança no trabalho nas mais diversas áreas de atuação dos profissionais. Participarão representantes da Petrobras (Marcus Petracco e Roberto D´Ávila), Shell (Valdir Pessoa), Serviço Geológico do Brasil (Ricardo Gotelip Cardoso e Victor Augusto Hilquias Silva Alves) e UFRJ (Marco Antonio Braga).

No dia 22, quarta-feira, será destaque a palestra magna de Décio Oddone, diretor-geral da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis), sobre a previsão de novos investimentos no setor de óleo e gás e seus importantes impactos no setor de Geologia.

Oddone vai apresentar o cenário das novas Rodadas de Licitação e os reflexos sobre a economia nacional, dos estados e municípios, com foco na ampliação do mercado de trabalho para geólogos e geocientistas, no apoio à P&D e na formação de novos profissionais.

Recursos para P&D: cortes no Capes e CNPq na pauta

Já no dia 23, quinta-feira, às 17h, na mesa "Defesa das Instituições Públicas de Geologia e da Ciência Brasileira", o foco será o atual estágio de financiamento e apoio à Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Brasil, com destaque para os reflexos sobre a formação de recursos humanos e a retenção de talentos, necessários ao desenvolvimento econômico e social do País. Os recentes cortes de recursos para Capes e CNPq serão o destaque da pauta.

Entre os participantes convidados estão o presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa da Ciência (SBPC), Ildeu Moreira; os diretores do Serviço Geológico do Brasil e do Museu Nacional, José Andriotti e Alexander Kellner, e Artur Obino, diretor técnico do Clube de Engenharia, com a mediação de Fábio Machado, diretor da Sociedade Brasileira de Geologia (SBG).

Mariana e outros recentes desastres ambientais

Na mesa redonda "Geologia, Mineração e os Recentes Desastres Ambientais", no dia 24, sexta-feira, às 17h, a SBG trará à discussão os recentes desastres ambientais, decorrentes da atividade mineral, em especial aquelas ocorridas em Minas Gerais (Mariana, em novembro de 2015 e Santo Antônio do Grama, março de 2018) e no Pará (Barcarena, em fevereiro de 2018).

Haverá apresentações já confirmadas, entre outros, de Rinaldo Mancin, diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram); Victor Bicca, diretor-geral da Agência Nacional de Mineração (ANM/DNPM); Andressa Lanchotti, promotora do Ministério Público de Minas Gerais, Andrea Azevedo, diretora da Fundação Renova e Ricardo Camargo, auditor que dá suporte ao MPF e MPE na avaliação e monitoramento dos programas da Fundação Renova. A mediação será do editor da Revista Brasil Mineral, Francisco Evando Alves.

Carta do Rio de Janeiro aos presidenciáveis

Ao final da programação, será apresentada a Carta do Rio de Janeiro, documento que deverá ser levado aos candidatos à Presidência da República, Câmara Federal, governos estaduais e assembleias legislativas, contendo propostas de políticas públicas para promover o desenvolvimento da Ciência Brasileira, em especial, das Geociências.

Este documento terá como base "os diversos debates, plurais e com ampla liberdade de expressão, como uma contribuição efetiva da Sociedade Brasileira de Geologia para o momento atual e a preocupação com o futuro. Uma oportunidade de levar a discussão aos diversos setores da sociedade, em vista de seu amplo apelo, no difícil momento que vivem os brasileiros e a responsabilidade dos geólogos e geocientistas neste processo", afirma Hernani Chaves.

Realização, patrocínio e apoio

O 49 CBG é realizado pela Sociedade Brasileira de Geologia (SBG), com organização da MCI e patrocínio da Petrobras, Shell Brasil, Halliburton, Queiroz Galvão, Bratexco, Bruker, Fundação Gorceix, Malvern Panalytical, IHS Markit, Arotec, CBPM, Instituto de Geociências da USP e Geologia BR, além de Capes e CNPq.

O evento conta com a parceria com algumas das principais empresas e entidades voltadas para o desenvolvimento das Geociências e da indústria nacional. São elas: ABGE, Agid, Adimb, Anepac, ANP, APG-RJ, ABGP, DRM-RJ, Fundação Geo-Rio, Ibram, IBP, IG, ITCG, SBGf, SBGq, SBP, SBP-RJ e Pré-Sal Petróleo; das universidades UFRJ, UFRRJ, UFF, Uerj, Uenf e UniRio, além do Museu Nacional, Rio Convention & Visitors Bureau e Secretaria de Estado de Educação.

Serviço

49º Congresso Brasileiro de Geologia

https://www.49cbg.com.br/

De 20 a 24 de agosto de 2018, das 9 às 19h, no Centro de Convenções SulAmérica

Av. Paulo de Frontin, 1 - Cidade Nova, Rio de Janeiro - RJ



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar