Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Inteligência Artificial poderá reduzir em 80% etapa da modelagem de reservatórios

04/03/2021 | 18h56
Inteligência Artificial poderá reduzir em 80% etapa da modelagem de reservatórios
Cortesia Equinor Cortesia Equinor

A Petrobras desenvolveu uma plataforma inovadora de análise de dados, cujo objetivo é mapear o potencial de produção de áreas recém adquiridas pela empresa e porções de campos em desenvolvimento. Batizada de Painel de Análogos, a plataforma integra grande volume de dados obtidos dos reservatórios de petróleo, possibilitando análises comparativas e o compartilhamento de informações.

DivulgaçãoA ferramenta integra o programa estratégico CÉOS, que visa desenvolver os melhores modelos de reservatórios já construídos na indústria, a fim de aumentar reservas, acelerar processos, reduzir riscos e custos com aquisição de dados, além de antecipar a implantação de projetos. Para atingir este objetivo, o CÉOS utiliza metodologias ágeis no desenvolvimento das soluções e tecnologias digitais, como Inteligência Artificial, para solucionar os problemas associados à modelagem de reservatórios, alguns deles representando o limite do conhecimento. CÉOS, na mitologia grega é o titã da inteligência e do conhecimento.

O CÉOS vai acelerar processos de reservatório, trazendo ganhos para o programa estratégico PROD1000, ao acelerar a implantação de projetos. O PROD 1000 tem como objetivo reduzir o tempo entre a declaração de comercialidade e o primeiro óleo para mil dias. Há sinergia entre eles, a medida que contribuem para solução dos fatores de risco e o dimensionamento dos modelos de reservatório. Ambos são resultado do uso intensivo de novas tecnologias na otimização de processos e operações, o que aumenta a eficiência e reduz custos, tornando os projetos mais resilientes a oscilações do mercado e da indústria.

O resultado das primeiras entregas foi a redução em 80% do tempo da etapa de análise e consumo de dados para a modelagem geológica de reservatórios, contribuindo para a antecipação da fase de produção. Ao ampliar e agilizar a oferta de dados sobre os campos, a empresa aumenta a assertividade das decisões, com ganhos significativos para a implantação e economicidade dos sistemas de produção.

Inicialmente, os ganhos referem-se ao compartilhamento de informações. Milhares de dados sobre a dinâmica dos reservatórios são adquiridos diariamente e a proposta é permitir, por meio da Inteligência Artificial, que eles sejam disponibilizados e analisados em tempo real. Isso significa dar a geólogos e geofísicos acesso a todas as informações existentes sobre os reservatórios mapeados pela companhia. Assim, ao começar a analisar os dados de uma nova área adquirida pela empresa, o especialista, por meio de busca, visualiza quais os campos da Petrobras têm características semelhantes, quais soluções foram adotadas e as lições aprendidas.

O Painel de Análogos também permite que a análise das informações seja incrementada com ferramentas visuais e estatísticas para consulta e exploração de dados de reservatórios. Através de algoritmos de Inteligência Artificial, a ferramenta sugere ao geólogo os melhores parâmetros a serem incorporados em sua análise. A ideia é capturar padrões de dados grandes e complexos e, por meio da ferramenta, processar esse volume de informações, além de entregar resultados de modo mais rápido e assertivo, extraindo o máximo potencial dos dados.

A Petrobras desenvolve, também, o programa estratégico EXP100 que visa eliminar a necessidade da perfuração poços exploratórios para confirmar descobertas de petróleo. Os programas CÉOS e EXP100 possuem grande sinergia pelo uso de inteligência artificial para potencializar a aplicação de dados geocientíficos nos projetos de E&P, proporcionando ferramentas disruptivas aos geofísicos, geólogos e engenheiros de reservatórios e aumentando a geração de valor para a companhia.



Fonte: Redação TN Petróleo, Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar