Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Combustíveis

Governo Federal cria força-tarefa para monitorar mercado de combustíveis e combater práticas ilícitas

03/03/2021 | 15h45
Governo Federal cria força-tarefa para monitorar mercado de combustíveis e combater práticas ilícitas
Divulgação Divulgação

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), coordenou, nesta terça-feira (2), reunião interministerial com a finalidade de combater a ocorrência de práticas ilícitas no mercado de combustíveis e, ao mesmo tempo, estimular a consolidação de um ambiente de negócios competitivo e favorável a realização de investimentos, com benefícios diretos para todos os brasileiros. Participam da força-tarefa o Ministério de Minas e Energia (MME), a Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP), o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Federal.

Após a edição do Decreto nº 10.634, de 23 de fevereiro de 2021, que traz transparência aos consumidores sobre a composição dos preços dos combustíveis automotivos, o Governo Federal iniciou tratativas para a criação de uma força-tarefa entre diversos órgãos para o monitoramento do setor de combustíveis com base em quatro eixos principais: (i) qualidade dos combustíveis; ii) sonegação fiscal no setor de combustíveis (ii) regularidade das bombas dos postos de combustíveis e; (iv) transparência da formação dos preços dos combustíveis (cumprimento do Decreto nº 10.634/2021).

No encontro, a secretária Nacional do Consumidor, Juliana Domingues, enfatizou a importância do desenvolvimento de ações integradas e coordenadas nos três níveis de governo, federal, estadual e municipal, de forma a potencializar as capacidades individuais de atuação de cada organização em prol dos interesses dos consumidores brasileiros quanto a preço, qualidade e oferta de combustíveis. "O objetivo da ação é ampliar a capacidade de monitoramento do Estado e possibilitar a construção de uma agenda conjunta, articulada e eficiente no mercado brasileiro de combustíveis que atenda aos anseios da sociedade" explica a Secretária.

A diretora da ANP, Symone Araújo, compartilhou a intenção de executar uma série de atividades ao longo do mês de março, mês do consumidor, visando a defesa do usuário no mercado de combustíveis. Há um Acordo de Cooperação Técnica vigente entre a ANP e os Procons estaduais.

O secretário José Mauro Coelho, do MME, falou sobre a iniciativa "Abastece Brasil" do Governo Federal, que visa o desenvolvimento do mercado de combustíveis e a segurança do seu abastecimento, com foco na promoção da livre concorrência no setor. Uma das agendas prioritárias da iniciativa "Abastece Brasil", dentre outras questões, é o combate à sonegação e à adulteração de combustíveis.

Nesse momento, o MME trabalha com a ANP em projeto visando o acesso a base de dados centralizadas que permitirão, entre outros, o desenvolvimento de inteligência para evitar fraudes. A iniciativa "Abastece Brasil" também tem ação conjunta com a Petrobras e a Transpetro para combater o furto de combustíveis em dutos de movimentação de petróleo e derivados. Além disso, está trabalhando em nota técnica, também em conjunto com a ANP, para apoiar as discussões do INMETRO sobre a certificação digital das bombas medidoras de combustíveis líquidos, o que contribuirá para a melhoria do ambiente de negócios no setor.

O encontro evidenciou o alinhamento estratégico entre o Ministério de Minas e Energia e o Ministério da Justiça e Segurança Pública no sentido de priorizar uma agenda de trabalho com propostas que promovam a livre concorrência e resultem em melhores preços aos consumidores brasileiros.



Fonte: Redação TN Petróleo/Assessoria Ministério da Justiça e Segurança Pública
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar