Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Coronavírus

Firjan SESI atinge a marca de 45 mil testes de Covid-19 em trabalhadores da indústria fluminense

28/01/2021 | 08h18

A Firjan SESI, por meio do Cento de Inovação SESI em Saúde Ocupacional (CIS-SO), já promoveu 45 mil testes moleculares em tempo real (RT-PCR) em trabalhadores da indústria fluminense. De abril de 2020, início do Programa Testes Covid-19, a 18 de janeiro último, a incidência média de industriários contaminados é de 4,1% em todo o estado. Em pouco mais de oito meses, foram atendidas 800 empresas de todos os setores industriais em 40 municípios.

O objetivo do programa da Firjan SESI é agilizar o diagnóstico da Covid-19, contribuindo para evitar a propagação do coronavírus no estado e manter a capacidade produtiva da indústria, prezando pela saúde dos trabalhadores e da população. Para micro e pequenas indústrias, com até 100 empregados, o serviço é oferecido de forma gratuita. Este grupo poderá soclitar novas testagens dos seus colaboradores, caso seja necessário. Para as médias e grandes indústrias, os testes saem a preço de custo.

Entre os 4,1% de industriários que testaram positivo, 32,6% declararam não apresentar sintomas. É importante lembrar que pacientes assintomáticos também são capazes de transmitir o vírus.

“A combinação desses resultados ressalta a importância da testagem frequente, uma vez que mesmo sem apresentar sintomas, este trabalhador pode transmitir o coronavírus. Assim, a identificação mais rápida de indivíduos com Covid ajuda no combate do SARS-CoV-2”, destaca o pesquisador-chefe do CIS-SO, Antonio Fidalgo.

Embora iniciada a imunização da população, ainda não há vacina para todos os brasileiros. Diante deste cenário, como estratégia de combate à Covid-19, a testagem em massa e o rastreamento de contatos (contact tracing) – detecção dos indivíduos que tiveram contatos com uma pessoa com o vírus – se mostram ferramentas importantes por fornecerem um maior número de informações. Essa combinação estratégica permite um maior potencial para a tomada de decisão e a gestão dos impactos causados pela pandemia do corronavírus.

Institucional

Testagem inteligente

Baseado nessa combinação estratégica, o Instituto SENAI de Inovação em Química Verde (ISI QV), ligado à Firjan SENAI, e o CIS-SO desenvolveram o “Smart Testing”. O programa de testagem inteligente para indústrias possui como fundamento-base o uso de inteligência artificial para auxiliar as empresas a manter suas atividades da maneira mais otimizada possível.

“A proposta do programa é o combate da proliferação do vírus e à contaminação em massa dos trabalhadores da indústria, identificando os possíveis trabalhadores infectados no ambiente de produção. O resultado gerado auxilia na decisão de afastamento imediato do trabalhador infectado e sintomáticos, atuando assim na prevenção da propagação do vírus e minimizando os impactos na produção as indústrias”, explica o pesquisador-chefe do CIS-SO.

Testagem nas regiões

Após 45 mil testes, os dados obtidos pelo CIS-SO mostram um maior percentual de casos positivos na Região Metropolitana do Rio. Na avaliação mais recente, cinco das nove regiões do estado apresentam bandeira vermelha: Metropolitana I, Baía da Ilha Grande, Serrana, Norte e Noroeste. Estas regiões concentram 75,58% da população fluminense.

As regiões Médio Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea e Metropolitana II estão classificadas em bandeira laranja, de risco moderado para a Covid-19. Nenhuma região apresentou risco baixo.

O maior número de trabalhadores testados é de empresas localizadas na cidade do Rio, com mais de 17 mil testes e uma prevalência de 5,2%. O munícipio de Nova Friburgo foi o segundo mais testado, com cerca de 5 mil testagens e prevalência de 3,0%. Já a cidade de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, foi a que apresentou maior percentual de casos positivos em todo período avaliado, com uma prevalência de 7,7%.



Fonte: Redação TN Petróleo/Assessoria Firjan
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar