acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Artigo Exclusivo

A Índia frente à Pandemia do Coronavírus, por Adriano Andrade

03/04/2020 | 11h33
A Índia frente à Pandemia do Coronavírus, por Adriano Andrade
Adriano Andrade, Câmara de Comércio Índia Brasil Adriano Andrade, Câmara de Comércio Índia Brasil

A Índia, por fazer fronteira com a China, vem se atentando à evolução do COVID-19 constantemente desde o início das preocupações das autoridades chinesas e, posteriormente, europeias. Desde que os primeiros casos foram registrados no país, o Ministério da Saúde do Governo da Índia começou um trabalho árduo na orientação de nacionais e viajantes de como evitar a transmissão do vírus.

Dentro de todo o contexto do COVID-19, Narendra Modi, Primeiro Ministro da Índia, para a surpresa de todos, convocou por chamada de vídeo a liderança da Associação Asiática para Cooperação Regional (SAARC), no dia 13 de março, para tratar de uma estratégia coletiva para o combate ao vírus, classificado como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Todos os países, felizmente, responderam positivamente à chamada de Modi, inclusive o Paquistão.

Divulgação

Com o aumento dos casos no subcontinente asiático, o governo teve que começar a tomar medidas mais árduas no intuito de prevenir o avanço da doença em seu território. Nisso, medidas entre o Ministério da Saúde e o Ministério das Relações Exteriores passaram a ser emitidas e atualizadas diariamente no intuito de controlar o fluxo migratório nos portos e aeroportos de entrada e saída do país. As ações começaram com o veto da entrada de viajantes advindos de países já afetados pelo COVID-19, tais como China e Itália, e com a suspensão de vistos concedidos à turistas que ainda não haviam realizado a chegada no país, evitando viagens não essenciais. Nota sobre nota, o governo decidiu, no dia 19 de março, que as suas fronteiras deveriam ser fechadas à todos os voos comerciais advindos de quaisquer países, assim como aos que partiriam de lá, devendo os estrangeiros, que desejassem retomar aos seus países, deixar a Índia até o 22 de março. O fechamento das fronteiras, a um primeiro momento, deveria ocorrer até o dia 29 de março, mas esta ação poderia ser prorrogada sem aviso prévio.

Diante do decreto desta medida, a Embaixada do Brasil em Nova Delhi iniciou brilhantemente uma força tarefa de orientação, mapeamento e manejo dos brasileiros no país para garantir que todos pudessem embarcar seguramente ao Brasil. Em publicação no Twitter, a Embaixada Brasileira notificou que conseguiu realizar o embarque de 43 brasileiros, que cantaram, meditaram e refletiram no aeroporto enquanto aguardavam seu embarque (Link da Publicação: www.encurtador.com.br/BUYZ7). Aos brasileiros que optaram por permanecer ou que não puderam, por algum motivo, se retirar do país, em caso de emergências consulares, incluindo coronavírus, devem entrar em contato com a Embaixada do Brasil em Nova Delhi pelos telefones +91 9810-697829 e +91 9810-202249. Para questões não emergenciais, estes devem ligar para +91 11 2301 730 ou enviar um e-mail para consular.newdelhi@itamaraty.gov.br.

No intuito de assistir aos estrangeiros que permaneceram em seu território, o Governo da Índia desenvolveu um canal, chamado Stranded in India. O portal é uma iniciativa do Ministério do Turismo, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores e com o Ministério d Saúde, e permite as pessoas a acionarem o governo, identificando a região em que se encontram e buscando informações úteis para uma estada segura no país. O portal já está funcionando e pode ser acessado por meio do link http://www.strandedinindia.com/ .

A Índia, como polo mundial de tecnologia, está contanto com este importante aliado para o lançamento de um aplicativo nesse momento delicado. Nomeado de Aarogya Setu, o Press Information Bureau divulgou o aplicativo que permitirá o fácil acesso à informação segura. De acordo com a descrição do aplicativo, o objetivo é "aumentar" os esforços para "proativamente" informar os cidadãos sobre as "melhores práticas e recomendações relevantes referentes à contenção do COVID-19". O aplicativo já está disponível para download em dispositivos Android e IOS. Desenvolvido pelo Centro Nacional de Informática, pertencente ao Ministério de Eletrônica e Tecnologia da Informação, o Aarogya Setu usa um banco de dados do governo de pessoas infectadas para precisar a passagem e/ou a presença de pessoas infectadas nos locais onde o usuário do aplicativo se encontra, sendo este um ótimo meio de evitar a propagação do vírus. Dos vinte e dois idiomas oficiais, o aplicativo suporta até 11 idiomas indianos diferentes, incluindo hindi e inglês, e requer localização e acesso Bluetooth para determinar se você entrou recentemente em contato com um paciente positivo com COVID-19.

Até o dia 02 de abril (quinta-feira), o site do Ministério da Saúde Indiano registrou 1860 casos ativos, 155 diagnosticados e 53 mortes, conforme mostram os dados a seguir:

Figura 01 - Controle de casos de COVID-19 na Ínida - Fonte: Ministério da Saúde do Governo da Índia

Dando continuidade às medidas de prevenção, no dia 24, terça-feira, o Premier Indiano decretou o início de uma quarentena horizontal a nível nacional. De acordo com o Nexo Jornal, com mais de um bilhão de habitantes, a Índia representará a maior quarentena do mundo, numa proporção de um terço da população mundial. Tal anúncio foi realizado quando o país ainda registra baixos índices de contaminação.

"A única maneira de nos salvarmos do coronavírus é não saírmos de casa. Aconteça o que acontecer, fiquem em casa. Todo distrito, toda rua, toda aldeia ficarão em quarentena"

Narendra Modi, primeiro ministro da Índia, em pronunciamento em cadeia de Rádio e TV no dia 24 de março de 2020.

Para todos os efeitos, a maior quarentena do mundo reduziu drasticamente o número de pessoas na rua e nos pontos de maiores aglomerações da Índia, indo conforme o esperado. A maior quarentena do mundo representa fábricas, lojas, mercados e locais de culto fechados, além da circulação reduzida de veículos. Tais fatores impactaram diretamente na diminuição da poluição do ar no país, que já pode ser sentida uma semana após o início da medida.

Figura 02 - Protótipo da Adaptação de vagões de trem em leito de enfermaria na Índia.

No intuito de se preparar quanto à capacidade de atendimento às grandes demandas que estão para aumentar drasticamente nas próximas semanas, o governo indiano está estudando estratégias de operação. Dentre elas, destaca-se a conversão de trens em enfermarias para atender pessoas infectadas com o vírus. A montagem do protótipo dos vagões teve início no dia 28 de março, em Kamakhya, no estado de Assam. Com um acordo entre o governo indiano e a Indian Railways, empresa que administra as operações ferroviárias do país, serão construídos aproximadamente 10 vagões-enfermarias em cada uma das 16 zonas de operação ferroviária.

No Brasil, as Representações Diplomáticas do Governo da Índia estão operando sob as orientações de prevenção ao vírus. Os indianos que desejarem atendimentos diplomáticos, estão sendo direcionados à Embaixada da Índia em Brasília e ao Consulado Geral da Índia em São Paulo por meio dos canais emergenciais de contato. No entanto, é preciso estar atento à jurisdição indiana no Brasil para uma melhor orientação. Desta forma, se o indiano é residente ou se encontra nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina ou Rio Grande do Sul, este deve se dirigir ao Consulado Geral da Índia em São Paulo, que está realizando atendimento por meio do número +55 11 99451-8224 ou pelo e-mail cons.saopaulo@mea.gov.in. Já os indianos presentes nos outros estados do Brasil devem se dirigir à Embaixada em Brasília, que disponibilizou o hotline +55 61 98139-1127. Os Consulados da Índia no Rio de Janeiro e em Minas Gerais continuam operando de maneira remota por meio dos seguintes e-mails e telefones:

Consulado Geral A.H da Índia no Rio de Janeiro consulate@indianconsulaterj.org.br - Tel.: (21) 97405-0285

Consulado Geral A.H da Índia em Minas Gerais consulate@indianconsulatemg.org.br - Tel: (31) 98481-3694

Através de uma ação conjunta, liderada pela Embaixada, todas as representações diplomáticas da Índia no Brasil trabalharam na preparação de um documento em inglês de orientações gerais aos indianos que vivem no Brasil. O arquivo contém todos os procedimentos sugeridos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os postos de saúde básica para primeiro atendimento em casos de suspeita e os Hospitais de referência do SUS. Além disso, foram mapeados ao menos um hospital privado, que esteja realizando os testes e procedimentos, em cada uma das zonas das cidades, informando, ainda, os procedimentos de entrada, valores e retiradas dos resultados. O documento, por sua vez, viabilizará uma consulta mais facilitada às Comunidades Indianas, que, em sua maioria, não fala português.

No intuito de se aproximar dos indianos no país, a Embaixada da Índia está realizando uma videoconferência todos os domingos com as Comunidades Indianas no Brasil, junto dos respectivos Cônsules Gerais de cada um dos Estados onde o Governo está presente. A proposta dessas conversas vai além de manter a Embaixada informada. Ela surge a partir do oferecimento auxílio e suporte a todos os seus nacionais que estejam no Brasil, criando uma rede bem conectada, passando, também, as orientações do Governo da Índia, que, a princípio, recomenda que todos permaneçam onde estão, visto que nenhuma evacuação está sendo organizada devido às condições delicadas do momento. Para além dos residentes no Brasil, os indianos que se encontram no país e que não conseguiram retornar à Índia ou ao seu próximo destino, foi anunciado, no último encontro virtual, que a OYO Rooms, startup indiana no setor hoteleiro, está oferecendo tarifas especiais como auxílio a estas pessoas. Com relação às dietas indianas, muitas vezes de viés religioso, os Consulados e a Embaixada contatarão restaurantes indianos para solicitar ajuda.

No que tange a questão econômica da Índia, o país vem cada vez mais se destacando como uma economia crescente nos últimos anos. A Índia, pelos dados econômicos, é apontada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) como o país que mais cresce no mundo, com taxas consistentes de cerca de 7% ao ano desde a década de 1990. Mesmo diante de um cenário internacional de economia instável e crise, os indicadores econômicos indianos fazem com que o país seja apontado como a provável potência mundial antes da metade do século. Dentro do contexto do Corovavírus, o Governo anunciou na última quinta (26) o pacote fiscal de US$ 22,26 bilhões como medida de auxílio aos necessitados no país, que possui a segunda maior população do mundo. O valor, quando convertido em moedas local, aproxima-se de 1,7 trilhões de rúpias indianas, destinadas à manutenção da economia e do bem estar da sua população.

Por fim, diante do cenário apresentado, pode-se notar a Índia como um país que está se preparando para as surpresas do COVID-19. Embora "relativamente" com poucos casos se comparado ao tamanho da sua população, o governo acredita que os índices subirão rapidamente nas próximas semanas e, por isso, estão buscando alternativas estratégicas para receber pessoas infectadas e realizar a manutenção e sobrevivência de sua população. Enquanto isso, as Representações Diplomáticas do Governo da Índia no Brasil trabalham na orientação de indianos fora do país de origem, publicando em seus canais digitais constantes atualizações acerca das informações e das medidas a serem tomadas para os próximos dias.

Fontes:

CHARLEAUX, João Paulo, Como a Índia fará a maior quarentena do mundo, Jornal Nexo, 2020. Disponível em <https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/25/Como-a-%C3%8Dndia-far%C3%A1-a-maior-quarentena-do-mundo>. Acesso em 29 de março de 2020.

DW Blog, 2020, DW Brasil. Disponível em< https://www.dw.com/pt-br/coronav%C3%ADrus-as-principais-not%C3%ADcias-sobre-a-pandemia-28-03/a-52947339> Acesso em 29 de março de 2020.

REDAÇÃO, Estado de São Paulo, A Índia proíbe a entrada de turistas estrangeiros a partir de terça feira para conter o coronavírus, Estadão, 2020. Disponível em <https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,india-proibe-entrada-de-turistas-estrangeiros-a-partir-de-sexta-para-conter-o-coronavirus,70003229225>. Acesso em 29 de março de 2020.

YOUSAF, Kamran, Modi's Covid-19 diplomacy, The Express Tribune, 2020. Disponível em <https://tribune.com.pk/story/2176873/6-modis-covid-19-diplomacy/>. Acesso em 29 de março de 2020.

WRIGHT, Rebecca, The world's largest coronavirus lockdown is having a dramatic impact on pollution in India, 2020, CNN. Disponível em < https://edition.cnn.com/2020/03/31/asia/coronavirus-lockdown-impact-pollution-india-intl-hnk/index.html> Acesso em 01 de abril de 2020.

ECONOMIA, Uol, Índia apresenta pacote fiscal de US$ 22,26 bilhões contra coronavírus, Estadão Conteúdo, 2020. Disponível em

<https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/03/26/india-apresenta-pacote-fiscal-de-us-2226-bilhoes-contra-coronavirus.htm>. Acesso em 29 de março 2020.

CONTROL, Money, Coronavirus pandemic | Govt launches COVID-19 tracking app 'Aarogya Setu' for Android, iOS users, 2020. Money Control News. Disponível em <https://www.moneycontrol.com/news/trends/coronavirus-pandemic-govt-launches-covid-19-tracking-app-aarogya-setu-for-android-ios-users-5101621.html> . Acesso em 02 de abril de 2020.

---------

Sobre o autor: Adriano Andrade é Analista da Câmara de Comércio Índia Brasil - Relações Internacionais. Ele é Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Veiga de Almeida – Rio de Janeiro, Adriano Andrade foi um dos organizadores do e-book "A Paz em Fragmentos: Os Tratados de Westphalia, publicado pela Universidade Veiga de Almeida em 2017. Hoje, Adriano Andrade é Analista Internacional da Câmara de Comércio Índia Brasil (CCIB) há dois anos e quatro meses. Embora jovem, Adriano possui uma ampla experiência com projetos internacionais no Brasil e no exterior, envolvendo-se na organização e participação em eventos internacionais e coordenação de missões empresariais à Índia, organizadas pela CCIB.



Fonte: Adriano Andrade
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar