acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
GLP

Análise da PNAD 2017 confirma que consumo do GLP nos lares brasileiros está estável

15/05/2018 | 15h31

A análise dos dados abertos da PNAD 2017 revela que a resposta positiva de 12,3 milhões de domicílios à pergunta "Este domicílio utiliza lenha ou carvão na preparação de alimentos?" significa que 17,6% dos domicílios utilizam a lenha e o carvão de forma auxiliar. Essa parcela não substituiu o botijão de gás pela lenha ou carvão na preparação de alimentos em virtude do aumento do preço desse combustível nos últimos anos, conforme amplamente noticiado. O total de domicílios que utilizam gás de botijão ou encanado permaneceu em 98,4% dos lares.

Em Belém, capital com a maior presença da lenha no Brasil, o crescimento foi distribuído pelas faixas de renda, porém, o peso naturalmente recaiu sobre a faixa de menor renda pela quantidade de domicílios incluídos nesse intervalo. Chama a atenção que a maior taxa de crescimento ocorreu na faixa mais rica do município. A ANP não divulga os dados de consumo de gás por faixas de renda, o que impossibilita uma análise estratificada. O fato é que o consumo de GLP no Estado do Pará aumentou em 2,26%.

Em Curitiba, por outro lado, o maior crescimento no uso da lenha ou carvão foi no intervalo de renda superior, que aumentou 426%. Curitiba foi a cidade com maior taxa de crescimento do país, saltando de 18 mil para 51 mil domicílios. Pode-se supor que, em Curitiba, possa ter aumentado o uso de churrasqueira de varanda gourmet, lareira ou qualquer outro evento ainda não observável.

 

 

 

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar